O Scenic E-Tech 100% elétrico é o primeiro familiar zero emissões da Renault e não podia ter entrado no panorama automóvel nacional com maior impacto.

Assente na plataforma dedicada a veículos elétricos AmpR Medium, o novo Renault Scenic E-Tech 100% elétrico venceu recentemente a eleição de Car of The Year 2024, um troféu atribuído pelo júri europeu que, tal como em 1997, volta a eleger o modelo como o melhor automóvel do ano.

À primeira vista, o novo Scenic elétrico rompe por completo com a imagem que tínhamos do “velho Scenic”: esta versão está maior, mais arrojada, e com uma linha de cintura rebaixada com linhas fluidas que lhe conferem um toque de berlina com apontamentos SUV, procurando recriar a nova linguagem visual e inovadora da marca francesa, lançada por Gilles Vidal (responsável, por exemplo, pela equipa que desenhou o Rafale).

Design exterior do novo Renault Scenic elétrico

Se nas primeiras gerações do Scenic encontrávamos um carro perfeitamente enquadrado na categoria MPV (Multi-Purpose Vehicle), agora na nova geração é-nos apresentada uma nova arquitetura. Mais inovador, com um piso plano e maior distância entre eixos extra-longa (2,87 m, 10 cm mais longa do que a do Megane E-Tech 100% elétrico), este familiar tem 4,47 m de comprimento, 1,86 m de largura e 1,57 m de altura.

E este espaço nota-se a bordo. O Scenic é um familiar na verdadeira acepção da palavra. Tão espaçoso como seria de esperar num Scenic, o seu piso plano e a distância entre eixos de 2,78 m proporcionada pela plataforma AmpR Medium garantem até 278 mm de espaço para as pernas, o que transforma a secção traseira do carro num verdadeiro lounge (como se pode verificar na fotografia).

O espaço para a cabeça dos ocupantes traseiros é de 884 mm e a bagageira conta com 545 litros de capacidade, podendo aumentar para 1.670 litros rebatendo o banco traseiro.

Renault Scenic: um carro que interessa às empresas, inserido numa estratégia transversal

Pioneira na democratização dos carros elétricos (percurso iniciado com a Nissan há já cerca de 14 anos), a Renault coloca no mercado o novo Scenic E-Tech respeitando ao máximo a estratégia de desenvolvimento sustentável da marca francesa, que promete cada vez mais, nas palavras de José Pedro Neves, diretor-geral da Renault Portugal, uma gama transversal e que quer estar presente em todos os segmentos.

Sobre o facto de dirigir uma marca que procura oferecer uma gama multi-transversal, José Pedro Neves acrescenta: “queremos ter uma oferta para todos os clientes e vamos focar a nossa aposta no segmento C, mas sem esquecer o segmento B” [onde se insere o aguardado R5 elétrico].

E se a abordagem multi-segmento é prioridade da marca, o que dizer do posicionamento deste carro no mercado das empresas? A FLEET MAGAZINE conversou com José Pedro Neves sobre este carro e sobre o seu posicionamento junto das empresas. Será que o novo Scenic E-Tech 100% elétrico interessa às empresas?

José Pedro Neves diz que sim. “Claramente o Scenic é um carro que interessa às empresas, até porque em Portugal o mercado dos veículos elétricos está muito virado para as empresas, que beneficiam de diversas vantagens fiscais (a dedução do IVA, a isenção do pagamento de ISV ou da taxa de Tributação Autónoma, em veículos com preço abaixo dos 62.500 euros + IVA), por isso acredito que o Scenic vem inserir-se muito bem nesse mercado”.

O facto de complementar também a oferta da Renault no segmento C, que até aqui contava já com uma proposta também ela 100% elétrica neste patamar (o Megane E-Tech elétrico), e por conter uma variante Long Range em termos de bateria, vai permitir uma ambição maior àqueles clientes-empresa que fazem do carro de serviço o seu carro familiar, refere José Pedro Neves.

“Penso que o Scenic vai ser uma aposta ganha em Portugal”, acrescenta.

Já sobre a forma como este elétrico se vai posicionar no mercado português, o diretor-geral da Renault Portugal não tem dúvidas: 80% das vendas serão para empresas. “Evidentemente que há sempre particulares que querem entrar na mobilidade elétrica, até porque o carro é competitivo em preço, mas acho que, claramente, em Portugal a grande penetração do Scenic vai estar nas empresas”, conclui.

Renault Rafale E-TECH Full Hybrid chega no Verão com preço a partir dos 45 mil euros

Mecânica

No novo Scenic elétrico, o utilizador tem à escolha dois níveis de potência: 125 kW (170 cv) com 280 Nm de binário ou 160 kW (220 cv) com 300 Nm de binário.

Na primeira versão, pode ser configurado com bateria de 60 kWh, para um garante de até 430 km de condução com uma só carga. Já na variante de 220 cv, equipa um pack de baterias de 87 kWh, capazes de assegurar até 625 km em condução zero emissões.

Ao longo dos mais de 200 km de condução ao volante de uma unidade esprit Alpine equipada com o pack de baterias maior, terminámos o teste com um consumo médio de 16,0 kWh/100 km e com 61% de bateria. Um carro que beneficia de diferentes tipos de regeneração na condução (selecionáveis nas patilhas atrás do volante) e de um modo de condução Eco extremamente eficiente, ou não fossem os números atrás referidos dignos de registo.

Quanto a carregamento na tomada, todas as versões do Scenic E-Tech 100% elétrico vêm equipadas com um carregador incorporado compatível com carregadores rápidos DC e, naturalmente, com sistemas domésticos AC monofásicos. A compatibilidade com sistemas de carregamento trifásicos de corrente alternada que fornecem até 22 kW.

O teto panorâmico Solarbay

Desenvolvido em parceria com a Saint-Gobain, este é um dos principais atrativos tecnológicos deste carro.

A tecnologia AmpliSky torna este teto panorâmico num sistema único no mercado: transforma o vidro de opaco a transparente com o simples toque de um botão, um segmento de cada vez, utilizando uma combinação de PDLC (cristais líquidos dispersos em polímeros) e campos elétricos que deslocam as moléculas.

Assim, esta funcionalidade permite aos condutores e passageiros escolherem qualquer uma das quatro configurações do tejadilho: totalmente claro, totalmente opaco, claro à frente e opaco atrás e vice-versa.

A Renault é a primeira marca automóvel generalista a incluir a possibilidade de escolher entre a opacificação total ou segmentada.

O construtor francês diz que o teto de vidro panorâmico Solarbay minimiza o efeito de estufa no interior e mantém a temperatura confortável em diferentes estações do ano.

E os efeitos não são apenas visuais ou tecnológicos. A remoção da tradicional persiana mecânica ou elétrica acrescentou 30 mm de altura livre ao Scenic, tendo melhorado assim o conforto dos passageiros sem ser necessário aumentar a altura do automóvel e, por conseguinte, comprometer a sua eficiência, diz a Renault.

Segurança e conforto graças ao Active Driver Assist

Todas as variantes de equipamento do Renault Scenic contam com o regulador de velocidade adaptativo Stop & Go, que permite acionar o limitador de velocidade e o regulador de velocidade adaptativo.

Por forma a complementar esta função, o Active Driver Assist possui nível 2 de automatização de condução em estradas e vias rápidas, combinando assim as funções de regulador de velocidade adaptativo sensível ao contexto e de manutenção da faixa de rodagem.

Ainda no capítulo dos sistemas avançados de assistência ao condutor, encontram-se disponíveis:

  • Descentragem manual temporária da faixa de rodagem;
  • Travagem automática de emergência;
  •  Travagem para evitar colisões múltiplas.

Gama e preços do novo Scenic

Embora as encomendas já estejam abertas, as primeiras unidades do novo Scenic E-Tech 100% elétrico chegam à rede de concessionários da marca já a partir do início do segundo semestre de 2024, com preços a começar nos 40.690 euros.

A gama do novo Scenic é composta da seguinte forma (todos os valores incluem IVA):

170 cv / Bateria de 60 kWh220 cv / Bateria de 87 kWh
Evolution40.670 euros46.500 euros
techno43.490 euros49.300 euros
esprit Alpine-51.250 euros
Iconic-52.650 euros

renault scenic