suvOs modelos SUV são cada vez mais desejados pelos europeus e o lançamento consecutivo de novos modelos mostram a vontade dos construtores estarem cada vez mais presentes neste competitivo segmento.

E para confirmar as novas preferências dos consumidores, nada melhor do que citar o caso concreto do Nissan Qashqai.

Em 2016 essa tendência tem vindo a acentuar-se. Grande parte do crescimento do crescimento das vendas na UE são impulsionadas pela procura de modelos SUV, principalmente compactos, e, neste segmento, a oferta é cada vez mais vasta. Só em setembro foram registados 130.798 novos SUV nos 5 principais mercados da Europa, mais 33 mil unidades do que no mesmo mês de 2015, um crescimento de 34,4% neste período.

E é neste apetecido mercado que mais e mais construtores apostam, mais de 20% do qual dominado por modelos oriundos da Aliança Renault-Nissan: Qashqai, o mais vendido, mas também o Renault Kadjar, Captur e Duster, por exemplo.

A ofensiva do Grupo Volkswagen torna-o agora a maior ameaça para a Renault-Nissan. De uma assentada, recentemente chegaram ao público o Volkswagen Tiguan, Seat Ateca e Audi Q2, aos quais em breve se junta o Skoda Kodiaq.

Mas há mais competidores novos: o grupo PSA renovou o 2008 e acabou de apresentar um novo Peugeot 3008 bastante diferente do anterior, o BMW com o novo X1 está a penetrar muito bem nos gostos europeus, e mais asiáticos se juntaram à luta: Mazda, Honda, Toyota, Kia, Hyundai e Mitsubishi, por exemplo. Sem esquecer outras marcas como a Ford ou a Volvo, e até do grupo indiano Tata, com a Land Rover.

A aposta no design parece resultar nesta classe, o que explica o salto dado pelo grupo Hyundai/Kia que vem logo atrás dos dois primeiros grupos construtores, empurrado pelo sucesso dos novos Kia Sportage e Hyundai Tucson. Outras razões contribuem para este excelente resultado, com a subida qualitativa de construção e as garantias alargadas oferecidas pelas duas marcas coreanas.