Pela primeira vez com uma motorização híbrida plug-in, a Toyota está consciente do papel que a segunda geração do C-HR pode ter na sua estratégia de vendas dirigida ao canal corporate.

Por isso, disponibiliza uma versão de equipamento desenhada a pensar nas empresas.

Toyota CH-R PHEV frotas
A versão de entrada do C-HR híbrido plug-in recebeu a designação Business e tem um PVP de 37.415 euros + IVA. Com o desconto para frotas será possível encaixá-lo no 2.º escalão da Tributação Autónoma

Associada a este modelo e versão, a KINTO tem a decorrer uma campanha especial para frotas:

  • Produto: AOV a 60 meses/50 mil km
  • Valor da renda: 472 euros + IVA
  • Condições: Inclui manutenção, seguro danos próprios com franquia de 4%, pneus ilimitados, viatura de substituição, assistência 24 horas, gestão de sinistros e impostos.
  • Condições adicionais: Válida para Empresas e Empresários em Nome Individual. Não válida  ara Rent a car, TVDE, táxi e escolas de condução. Limitada ao stock existente e a Portugal Continental até dia 31 de março de 2024.

Apesar de ser a que tem um PVP mais acessível, a versão Business do Toyota C-HR híbrido plug-in encontra-se bem equipada:

  • Toyota Safety Sense (câmara auxiliar traseira, cruise control adaptativo inteligente e alerta de ângulo morto);
  • Ar condicionado automático duas zonas
  • Jantes em liga leve de 18’
  • Sistema “smart entry & start”
  • Bancos e volante aquecidos
  • Ecrã de informações TFT de 12.3” atrás do volante e ecrã central multimédia de 8”
  • Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros
  • Faróis em Led

Nova geração Toyota Prius: PHEV mais potente e com mais autonomia elétrica

Mecânica e versões

O Toyota C-HR PHEV pertence a uma classe de veículo que valeu cerca de 14% das vendas do segmento C-SUV em 2023. Como se constata através do gráfico a seguir, superior aos valores obtidos pelos C-SUV 100% elétricos, com mecânica diesel ou híbrida.

Toyota CH-R PHEV frotas

 

A versão plug-in dispõe de motor 2.0 a gasolina, coadjuvado por uma unidade elétrica alimentada por uma bateria de 13,6 kWh, que lhe permite uma autonomia de 66 km (em ciclo combinado WLTP) e emissões de 18 a 20 g/km.

Toyota-CH-RCom três modos de condução (EV, Auto EV/ HEV e HEV), está dotado de tecnologia de condução preditiva que, de acordo com o destino programado no mapa, gere automaticamente vários modos de utilização da energia elétrica e da capacidade de regeneração, de forma a assegurar uma eventual necessidade de autonomia elétrica, para percorrer zonas de emissões nulas, ao longo do trajeto. Dispõe também de bomba de calor para uma maior eficiência

Com uma potência combinada de 223 cv (164 kW), esta solução mecânica é igual à que é utilizada pela nova geração do Toyota Prius.

A potência de carregamento é de 7 kW, com a Toyota a indicar que um carga completa pode ser efetuada em duas horas e meia.

A gama Toyota C-HR Plug-in, em Portugal, é constituída por 4 versões:

  •  Business, por 37.415 euros + IVA;
  • Square Collection, por 38.915 euros + IVA (versão sobre a qual recaem as maiores expectativas de vendas);
  • Lounge, por 40.813 euros + IVA;
  • GR Sport Premiere Edition, por 43.163 euros + IVA.

Além desta versão híbrida plug-in, a gama também inclui uma mecânica híbrida (não plug-in), servida pelo motor 1.8 a gasolina que, junto com uma unidade elétrica, reivindica uma potência combinada de 140 cv.

Este motor elétrico é alimentado por uma pequena bateria com capacidade para mover o C-HR em modo exclusivamente elétrico durante 5 ou 6 km. Serve essencialmente para apoiar o esforço do motor a gasolina ou, em situações de trânsito intenso e lento, dispensar a utilização do motor a gasolina enquanto a bateria dispuser de energia suficiente.

Design

Em 2023, o Toyota C-HR valeu 1.599 matrículas em Portugal, conseguindo posicionar-se como o segundo modelo C-SUV eletrificado e 3.º modelo eletrificado do segmento C.

A atual segunda geração, desenhada sobre a plataforma da anterior, surge mais adulta mas sem perder a atitude dinâmica, mais moderna e burguesa no interior, ao atualizar equipamento e melhorar a qualidade dos materiais.

Possui uma nova frente esteticamente alinhada com a imagem do primeiro automóvel 100% elétrico da Toyota, o bZ4X. Linhas laterais vincadas contribuem para reforçar a moção de solidez e acentuam também a imagem de irreverência.

Quanto à habitabilidade não existem grandes novidades. Com a mesma distância entre eixos e mantendo também o formato traseiro, os ocupantes deste banco podem sentir a mesma sensação de claustrofobia, não por falta de espaço para dois ocupantes, mas porque as janelas traseiros são pequenas e estão mais avançadas do que é habitual em relação ao encosto do assento.

Mais confortáveis, os dois lugares dianteiros proporcionam não só mais visibilidade, como a visão de um painel mais moderno e completo.

Ao olhar do condutor, atrás do volante existe uma tela digital configurável de 12,3 polegadas, enquanto o ecrã central tátil pode ter 8 ou 12,3 polegadas, dependendo do nível de equipamento.

Equipamento que, nas versões superiores inclui informações sobre a condução projetadas na parte inferior do pára-brisas e sistema de som JBL.