Os concessionários Mercedes-Benz como os conhecemos vão acabar.

A Mercedes-Benz vai transformar os seus concessionários em agências – uma manobra executiva que, segundo a marca, vai permitir reduzir os custos e aumentar os lucros.

Assim, no futuro, as gamas de ligeiros e comerciais ligeiros serão disponibilizadas aos principais mercados europeus via modelo de agência.

O que muda, afinal?

Importa frisar que o espaço físico do concessionário não vai desaparecer.

Os concessionários, que compravam diretamente às fábricas e depois colocavam os carros à venda, deixam de ter esse papel.

Com o modelo de agência, o cliente passa a comprar o carro diretamente à marca, pela internet.

Do lado do vendedor, a marca passa a ter a seu cargo a gestão dos stocks (até aqui suportada pelos concessionários). O fabricante passará, também, a controlar os preços e os descontos aplicáveis a cada modelo.

Este processo permitirá à Mercedes-Benz pagar apenas uma comissão por cada unidade vendida.

André Silveira, Relações Públicas da Mercedes-Benz Portugal, acrescenta, porém, que a Mercedes-Benz “irá garantir as condições como se fosse um concessionário”.

“No fundo todo o papel do concessionário, tal como o conhecemos até agora, passa a ser feito pela Mercedes-Benz”, esclarece o responsável, que adianta ainda que não haverá alterações com as compras por parte das empresas.

Continuará a haver, também, serviços após-venda nas agências.

Do lado de quem compra, o modelo de agência permitirá aos clientes Mercedes-Benz:

  • Trocar ideias com peritos
  • Obter informação e concluir a compra online
  • Entrar em contacto com parceiros de vendas (de forma digital ou fisicamente)

vendas

Os agentes Mercedes-Benz terão, por isso, um papel fundamental na Experiência do Consumidor, desde a fase inicial da pesquisa pelo modelo, passando pela compra e finalizando o processo na entrega do veículo.

A Mercedes-Benz diz que todo este processo de vendas oferece mais transparência aos seus clientes. Aos parceiros da marca é garantida a oportunidade de se concentrarem ainda mais no cliente e no apoio prestado.

Máquinas Industriais São Marcos adquire frota de seis Mercedes-Benz à Soc. Com. C. Santos

Um passo rumo ao futuro das vendas de carros

Esta decisão resulta após um acordo entre a Mercedes-Benz e a Associação Europeia de Concessionários Mercedes-Benz (FEAC).

Britta Seeger, membro do Conselho de Administração da Daimler AG e da Mercedes-Benz AG, diz que o modelo de agência tornará o contacto entre marca e cliente mais fácil, além de que permitirá à marca alcançar maior fidelização junto dos seus clientes a um nível global.

Britta Seeger

“Queremos que, no final de 2023, mais de metade dos novos Mercedes-Benz disponíveis na Europa sejam vendidos no modelo agência”, diz Seeger, numa clara alusão à cada vez mais experiência de compra digital que as marcas procuram.

Friedrich Lixl, presidente da FEAC, acredita que com este acordo será criada uma estrutura de vendas europeia mais clara.

Introduzido na Suécia, Áustria, África do Sul e Índia, o modelo de agência deverá chegar à Alemanha e ao Reino Unido já em 2023.

André Silveira adianta que ainda não há data concreta para Portugal entrar neste modelo de negócio.