O volume de matrículas de carros novos em janeiro de 2021 caiu:

  • 30,5% nos ligeiros de passageiros
  • 19,2% no segmento dos comerciais ligeiros.

Diz o comunicado da ACAP que:

A queda só não foi mais elevada “porque no mês de Janeiro foram matriculadas várias centenas de veículos híbridos, cujo imposto foi liquidado em 2020. Isto, devido ao agravamento do ISV, aprovado no Orçamento para 2021.”

Ou seja, são viaturas pré-matriculadas destinadas a serem escoadas ao longo dos próximos meses.

O objetivo é serem comercializadas a preços que não reflitam o agravamento da medida proposta pelo PAN e aprovada no Orçamento Geral do Estado para 2021.

Porque há carros híbridos que viram o valor do Imposto sobre Veículos (ISV) crescer vários milhares de euros.

Mesmo carros com motor apoiado por tecnologia mild hybrid, para poderem ser mais eficientes, sofreram o efeito deste agravamento.

Por exemplo, um automóvel de passageiros com motor a gasóleo de 2,0 litros e sistema mild hybrid pode pagar mais 3000 mil euros de ISV em 2021, do que pagava em 2020.

Isto explica a 3.ª posição da Toyota no segmento dos ligeiros de passageiros e a variação de 120% do número de matrículas da Lexus.

Híbridos com benefícios fiscais só com mais de 50 km de autonomia elétrica?

Há um ano, em janeiro de 2020, cada um destes segmentos recuava

  • 8% nos ligeiros de passageiros
  • 11% nos ligeiros de mercadorias

Em dois anos isso significa perdas acumuladas de:

  • 38,5% nos ligeiros de passageiros (2019/2021)
  • 30,2%  nos comerciais ligeiros (2019/2021)

Em números o que é que isto representa?

  • 10.029 matrículas de ligeiros de passageiros em janeiro de 2021, menos 5.655 registos do que os 15.684 em janeiro de 2019
  • 2.098 matrículas de ligeiros de mercadorias em janeiro de 2021, mais 817 registos do que os 2.915 em janeiro de 2019.

A Peugeot começou 2021 a liderar a tabela de matrículas em Portugal.

Em 2020 isso também aconteceu.

Mas, se em 2020 liderava os dois segmentos de ligeiros, em 2021 a Citroën lidera o dos comerciais ligeiros.

O líder tradicional dos dois segmentos, a Renault, só conseguiu o lugar mais baixo do pódio dos comerciais ligeiros.

Nos dos passageiros está na 5.ª posição.

Efeitos do Renaulution que conduz para a rentabilidade através do aumento da margem do negócio, em vez do desempenho do volume de vendas?

Rent-a-car: aquisições caem 70% em 2020. Que efeito teve nas marcas?

Nas três primeiras posições, com maior número de matrículas, ficaram a Peugeot, Mercedes-Benz e BMW.

Já a Dacia, que tem o Sandero como o modelo mais vendido em Portugal a clientes particulares, diz a marca, não foi além das 233 matrículas em janeiro de 2021.

Ficaram assim as duas tabelas em janeiro de 2021.

As 16 marcas com mais de 250 matrículas de ligeiros de passageiros efetuadas em janeiro de 2021 são estas:

As 11 marcas com mais de 50 matrículas de ligeiros de mercadorias são estas:

As tabelas completas da ACAP relativas a janeiro de 2021 podem ser consultadas nesta página.